Google+ Followers

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Figueira

Buscar o sentido das coisas...
Não! Não o seu significado, mas sim o seu tato, o seu sabor, o seu desenrolar... Isso deveria ser considerado um esporte; uma arte.

Sentar-se debaixo de uma árvore, numa sombra e em boa companhia, apenas apreciando os passantes, observar as pombas revolvendo a terra e meninas superando meninos em brincadeiras tão primariamente masculinas... Tudo isso me dá uma sensação de alívio e que as coisas estão amenas...
Mas estão mesmo?

Algo está irrequieto dentro de mim... pululando freneticamente e zumbindo nos meus ouvidos!
O que será isso?
Conflitos internos não decifrados?

Tudo é plausível nesse jogo obscuro de desvendar a si mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Caixa de Textos